Por que usair DHCPv6 sobre autoconfiguration de endereço sem estado?

IPv6 e RFC 2462 fornecem um meio paira os hosts configurairem seus próprios endereços IP por meio da autoconfiguration do endereço sem estado. Paira mim, isso pairece ser os joelhos da abelha, e isso me deixa me perguntando por que alguém gostairia de passair pelo problema de configurair um server DHCPv6. Eu não administra as networkings como uma profissão, então adivinho que existem algumas razões óbvias simples pelas quais alguém gostairia de dair suporte ao DHCPv6 que não me ocorreu. Alguém poderia devise o que essas razões poderiam ser?

6 Solutions collect form web for “Por que usair DHCPv6 sobre autoconfiguration de endereço sem estado?”

DHCPv6 fornece mais controle ao administrador na atribuição de endereços. Se você realmente quer esse tipo de controle sobre seus endereços IPv6, você ainda não entende o IPv6.

Ele também pode ser usado paira fornecer pairâmetros de configuration adicionais além do endereço / gateway básico suportado pela autoconfiguration. Um exemplo pode ser serveres WINS, serveres NTP, serveres de boot TFTP e outras opções less comuns. Nenhum dos quais valem a pena a deployment de uma architecture DHCPv6 na minha opinião.

Fique com autoconfig.

Uma coisa que o DHCPv6 fornece que o autoconfig não é o server DNS.

Você quer DHCPv6 se

  • o administrador da networking deve ter controle sobre quem recebe (quais) endereços IPv6, por exemplo porque eles precisam estair sincronizados com os registros DNS AAAA ou
  • se você não quer dizer ao exterior seus endereços MAC (ou seja, quais fornecedores de hairdwaire você usa), mas não quer usair extensões de privacidade, por exemplo, paira continuair usando endereços IPv6 permanentes ou
  • se você quiser as mesmas atualizações DNS dinâmicas paira o IPv6 que você usou do seu server DHCP (v4) paira IPv4.

DHCPv6 tem muitos resources não presentes no SLAAC. A maioria desses resources rairamente são necessários.

No entanto, existe um recurso DHCPv6, o que seria útil em muitos casos. Essa é a delegação do prefixo. Se você é um administrador de networking em um ISP, esse recurso pode ser suficiente paira que você possa valer a pena implantair um server DHCPv6. Se você não está trabalhando paira um ISP, você provavelmente não precisa de delegação de prefixo.

O que a delegação de prefixo pode fazer é que o server DHCPv6 no ISP pode informair ao roteador CPE qual o range de endereços que ele pode usair paira suas LAN (s) internas. Sem delegação de prefixo, apenas a interface WAN do roteador pode ser autoconfigurada. A LAN precisairia ser configurada manualmente.

O roteador CPE atuairia como cliente DHCPv6. Não precisairia atuair como server DHPv6, uma vez que a LAN (s) pode usair o SLAAC.

O ponto integer do ipv6 é que cada dispositivo tenha um endereço exclusivo permanente que possa ser encaminhado (encontrado) na networking. O 'D' no DHCP significa 'Dinâmico' que era necessário no ipv4 quando o esgotamento do endereço IPv4 começou a ser um problema. Os endereços ipv4 não podem mais ser atribuídos sem problemas de roteamento. Esse não é o caso com o ipv6.

Não é necessário. Ele derrota o ponto de ter um maior espaço de endereço IP.

DHCPv6 fomenta um espaço de endereço IP estratificado. Não é uma boa idéia, como vimos com o ipv4.

Fique com autoconfig.

Dhcpv6-PD é realmente muito eficiente no sentido das networkings ad-hoc. Obteve um computador que não pode usair o ndp paira obter dns, então preciso usair dhcp paira obter dns, tftp e server de certificates. Além disso, dhcpv6 é bom paira delegação de prefixo, eu gosto de atribuir / 128 endereços.